Site Loader

O Queendom 2: Run the world começou pra valer no dia 31 de março, o pontapé inicial em dois episódios que formariam a primeira etapa dessa competição que deve desenrolar pelos próximos quatro meses. É assim que se começa uma competição de verdade: mostrando quem você é. E é por isso que a primeira etapa é nenhuma menos que a “Batalha da canção representativa”.

VIVIZ

Uma das coisas boas da competição é que ela permite que os artistas utilizem músicas de seus projetos anteriores, então… Quer dizer, a gente provavelmente não vai ver ninguém fazer nenhuma música do CLC só porque a Yujin tá o Kep1er (um desperdício, de verdade), mas pelo menos vai dar pra ver bastante GFriend e Sistar ao longo da competição, e é isso que estamos vendo mesmo.

Então para a música representativa, embora Hyolyn tenha muitas músicas solo que pudesse utilizar, ela ainda tinha muitas músicas mais na discografia do Sistar para acessar e o póbi do VIVIZ com seu único álbum também aproveitou para tocar o coração dos fãs que vieram da época que elas eram GFriend.

Enquanto isso, grupos como Brave Girls e Cosmic Girls tiveram certa dificuldade em definir qual seria A Música que as representaria, mesmo que os dois tenham discografias impecáveis. No caso do BG, por mais que suas músicas sejam boas, todo mundo só conhece “Rollin'”, e no caso do WJSN, as pessoas nunca sabem que Aquela Tal Música Boa é, de fato, delas.

O Kep1er, tal qual o VIVIZ, só tem 1 mini-álbum. O problema é que, como dissemos, parece que elas só podem recorrer a ele durante a competição – ou seja, nada de puxar conteúdo da carreira da Yujin, que é a única que já tinha grupo ativo antes de entrar pro Girls Planet. Então elas ficaram presas em apresentar “WA DA DA”, a única música título que todo mundo conhece. A gente conhece essa novela. Na 2ª temporada (Road to Kingdom) o TO1 tinha acabado debutar pelo World Klass e logo foi mandado pro programa. Eles provaram seu talento, mas não sem tirar leite de pedra, tadinhos 😭

Os coitados do TO1 apresentando “Magnolia” pela segunda vez, Mnet por que você é assim?

Sobre o LOONA, nós não sabemos a história por trás da escolha da música delas. Isso porque elas precisaram ser cortadas do lineup de última hora quando uma a uma foram testando positivo pra COVID-19 logo na semana de apresentação, como comentamos brevemente na postagem anterior. Sendo assim, elas automaticamente ficaram em 6° lugar, porque toda pontuação da etapa foi dada in loco. Entretanto, como ainda tem a parte da pontuação digital (no caso, as visualizações e curtidas de vídeo), a Taeyeon perguntou às outras participantes se elas concordavam em deixar o LOONA gravar a performance da 1ª etapa e todo mundo disse que sim, por isso temos um videozinho de “PTT” também entre as outras apresentações.

Agora, antes de você pular pras análises das apresentações preferidas do KPT que eu sei que você está doide de vontade de ler nossa opinião super relevante, fique sabendo que dessa vez as performances voltaram a ser publicadas em plataformas digitais como mini-álbuns! Pois é. Então no final desse post tem o link da comunidade do Queendom no site da Mnet e você vai encontrar os álbuns todos na plataforma de sua preferência lá.

Enfim.

Quer saber o que tocou nosso coração? Adivinha?

Sinb e Umji do VIVIZ

Favoritas da equipe

Brave Girls – Chi Mat Ba Ram + Rollin’ (REMIX)

By

O Queendom acabou de começar e as Brave Girls já estão passando por dilemas. Embora tenham anos de carreira, elas demoraram a ter seu primeiro hit e agora o título de “Rainhas da ascensão nos charts” parece não querer sair disso: uma subida inesperada que ninguém sabe direito como aconteceu nem porque ainda está acontecendo. Bem, elas querem se desvincular dessa narrativa, por isso entraram no programa. E se você tivesse me perguntado antes do line-up ser confirmado se eu achava que elas escolheriam ir, minha resposta era um confiante “não, elas não precisam mais.” Exceto que parece que precisam sim.

Mesmo com mais faixas acompanhando o sucesso de “Rollin'” nos charts, as Brave Girls se preocupam em não serem consideradas Maravilhas de Um Hit Só e não só querem como são capazes de mostrar que têm um repertório muito maior do que um stage de “Rollin'” pode mostrar. É por isso que elas disseram com toda convicção: vamos focar na performance dessa vez!

Então ela foram lá, remixaram “Chi Mat Ba Ram” (primeiro grande lançamento depois do viral, falamos dele no episódio 38) com a própria “Rollin'”, participaram de todo processo, meteram dance break, intro individual, acessórios, carisma! …E microfone de mão? Pois é, galera, além de tudo, elas entregaram no vocal também! Enquanto isso, os outros grupos: 👁👄👁

Simplesmente tudo pra mim.

VIVIZ – Time for the Moon Night + Rough

Cambs

Sentimentos controversos sobre as músicas do GFriend a parte (porque a galera aqui não vai hesitar em dizer que não gostava muito das músicas do grupo), “Time For The Moon Night” te pega de jeito em algum momento. Quando ela saiu, eu achava que faltava algo nela pra me fazer gostar totalmente, mas o tempo passou e hoje eu defendo ela porque é ótima. Já “Rough” é aquele tipo de música que você não precisa gostar pra saber cantar o refrão, então a junção dessas duas não tinha como dar errado, né?

Usando a fórmula que funciona bem pra elas, e elas sabem que funciona, desse arzinho meio mágico e suave, com alguns elementos no novo jogo que elas estão participando como a coroa da Eunha, o VIVIZ mostrou porque o GFriend tem um legado no k-pop. Uma homenagem delas a elas mesmas, aos fãs e ao grupo que foi chutado pela empresa do anti-cristo.

Não para menos, a performance delas foi Emocionante, de um jeito agridoce que fez até a galera chorar. Entendível, principalmente quando elas colocaram a data de debut do GFriend e do VIVIZ na tela na parte final da apresentação, então assim…. É.

O resumo desses parágrafos provavelmente sem sentido é que a apresentação bonita e emocionante delas fez por onde, e agora é esperar as próximas rodadas para ver que caminhos elas vão trilhar e o que vão experimentar, igual o GFriend estava fazendo antes de serem boicotadas. Ah, e elas tinham uma orquestra de cordas (violoncelo, violino, não tenho certeza sobre uma viola – mas é quase um quarteto de cordas) então eu é que não vou falar mal disso.

WJSN/Cosmic Girls – As You Wish

Sam

Numa semana que seria perfeita para soltar Secret e evitar que eu volte aqui toda episódio pra pedir Secret, as Moças Cósmicas resolveram ir pelo lado mais seguro, trazendo uma apresentação de As You Wish. Muito tem se falado do problema que ocorreu logo no início – a ampulheta que quebrou e fez as meninas dançarem desviando da areia no chão – mas pouco se diz sobre o quão agradável foi essa performance. Esteticamente bonita com o figurino e uso das dançarinas, simples por não criar 500 pontos de história ou utilizar todos os props possíveis do porão da Mnet, gostosa por trazer uma vibe sonhadora e etérea para o programa, ótima porque a Exy está nesse grupo e eu amo a Exy as moças parecem ter subido no palco com a ideia de “bom, talvez não tenhamos uma música representativa, mas estamos aqui para criar uma” e se esforçaram pra mostrar quem é, de fato, o WJSN. E, bem, pra mim funcionou.

O problema aqui, entretanto, é um criado e apoiado pelo formato do programa: o dance break. Praticamente obrigatório em todas as performances, o break em As You Wish é dark, trocando as luzes lilás pelo vermelho, transformando a apresentação em algo bruto e tirando a beleza que dominava até então. Não adiciona em nada e acaba com a atmosfera agradável, e, mesmo que o finale tente retornar com a vibe mais animada, o feitiço já tinha sido quebrado. Sem ele esse parágrafo não precisaria existir e todos nós sairíamos ganhando.

Dito isso, a parte final mais parece fim de show. As moças subindo e cantando, sendo bonitas e fofas enquanto o instrumental intenso soa para apoiar suas vozes… Simplesmente ótimo. Me deu forças pra continuar (acompanhando as apresentações do programa). Um pouco.

Hyolyn – Touch My Body

Caio

Sabe popstar? Aquela entidade que, quando sobe em um palco e fica sob os holofotes, faz com que seja impossível olhar para outro canto? Pois é, Hyolyn foi a maior popstar no palco do Queendom nesse episódio.

O belíssimo display colorido no início da performance (talvez Hyolyn tenha sido a única que de fato se soube usar esse formato de palco) deu o toque inicial, mas foi o sorriso ambíguo da cantora enquanto desfilava os primeiros versos sugestivos do hit “Touch My Body”, do seu ex-grupo Sistar, que ganhou o jogo. Daí para frente, foi tudo festa – papel picado jogado para o alto em uma taça de champanhe, dance break acrobático acompanhado por dançarinos que fingiam tocar trompetes, formações gigantes e atrevidas com o corpo de balé feminino, um momento literalmente ardente em que a frente do palco foi iluminada por chamas…

Como diria o Twitter, Hyolyn entregou, sabe? Ela serviu. Diga-se de passagem, inclusive, que ela serviu com um dos saltos quebrados – o que é até difícil de notar durante a performance, porque ela não parece perder um passo de dança sequer por isso. E isso porque eu nem falei dos vocais, sem dúvida os melhores da noite (lembrando que as Brave Girls estão lá também?!), alcançando alturas inacreditáveis e esbanjando carisma e interpretação. Enfim, salvou o k-pop.

Demais performances

A Mnet sempre dá um jeitinho de te deixar se perguntando o que eles tão pensando na parte de produção, e aqui não ta sendo diferente, porque é seguro dizer que aquela estrutura de palco não ajudou muita gente não, mas fazer o que né? Ainda temos probleminhas aqui e ali com volume de microfones de alguns grupos, mas… pelo menos ainda não estamos tendo problemas com iluminação então uma pequena vitória, eu acho. Porém, a gente sabe que o esquema da MNET com grupos femininos é criar intriga entre elas, diferente da briga de cachorro voltado para os fandoms igual é com os grupos masculinos. O programa mal começou e a gente já tem idol chorando e se preocupando com ranking, entao assim….. MNET a gente sabe que você nao vai criar vergonha na cara, mas pelo menos finja.

O Kep1er tá sofrendo quase o que o TO1 sofreu por serem rookies formados por uma competição que Mnet e a CJEM estavam envolvidos, o que faz a galera reclamar aqui e ali como se os grupos formados não fossem bons independente das agências. Aqui, entretanto, a Mnet investiu o total de 2 reais e uma coxinha na produção do stage das meninas. A sorte é que elas são ótimas dançarinas, então visualmente a dança ficou ótima de ver, mas “WA DA DA” é uma farofada com momentos (um dia a gente vai falar sobre elas no podcast e ai vocês vão entender direito o que a gente não gosta de “WA DA DA”), e esses momentos não foram remixados para deixar a música melhor, então na nossa opinião foi um quase, mas um salve especial pro microfone ligadíssimo das meninas, mandaram bem de mais no ao vivo.

A performance que claramente ficou pra trás foi a do LOONA. Como explicado anteriormente, elas apresentaram depois (nossa suspeita – não fomos atrás das fofocas de bastidores – é que a gravação foi no mesmo dia da 2ª etapa), o que quer dizer que elas tiveram o dobro de tempo para se preparar para a performance. Em partes, a gente entende que metade disso foi gasto se recuperando da COVID, a outra metade foi tendo que ensaiar um cover de ninguém menos do que A Hyolyn com o risco da eliminação nos calcanhares, mas sabe…

Talvez o maior erro foi não terem escolhido “Butterfly” como a música representativa, porque a faixa é maior que carreiras, mas “PTT” é uma farofada delícia então até que deu pra entender. Mas então temos a remixagem que não se decide se é focada no cultural, no clássico ou se trabalha com os dois, tudo isso sem descobrir exatamente qual é a função do instrumental inspirado por Bollywood que a música tem, então… o que rolou amores? C- pelo esforço 🥴. Mas elas estavam lindíssimas, os hanboks eram lindos e vocês viram a Vivi e a GoWon aproveitando os 2 segundos de tela delas? Ícones.

A esperança agora é que elas se divirtam fazendo as coisas completas e sem pressa, porque a Mnet tá doidinha pra pegar alguém pra ser coitadinho nessa temporada já, e o LOONA é o maior candidato a ser o saco de pancadas da edição.

Ranking

O sistema de votos pra essa rodada, como contado mais ou menos no post anterior foi dividido em 3 partes: auto-avaliação (1000 pontos), voto do público presencial (6000 pontos) e voto do público global (3000 pontos). Diferente da temporada passada (Kingdom), a votação global não se deu por aplicativo e sim através de pessoas que assistiram às performances online no dia da gravação.

Pra auto-avaliação, diferente das temporadas do masculino, as meninas precisaram avaliar igual que nem foi na primeira temporada, ou seja: de um jeito ridículo. Elas tinham que escolher alguma apresentação que consideravam pior que a delas e poderiam escolher alguma que foi melhor. Todo mundo começava com 1000 pontos e esses pontos seriam deduzidos potencialmente de acordo com os up e down votes das demais participantes. Tirando o Kep1er, que deu show de ingenuidade (tadinhas, foi fofo!), todos os grupos foram estratégicos e conseguiram segurar a pontuação do VIVIZ, um dos grupos mais fortes.

Mas no fim das contas, quem ficou em primeiro lugar em todas as categorias de votação foi a Hyolyn, recebendo uma nota perfeita. Não me lembro disso ter acontecido antes, então se aconteceu, podem me corrigir nos comentários. E o ranking da primeira etapa ficou assim:

  1. Hyolyn
  2. WJSN/Cosmic Girls
  3. VIVIZ
  4. Kep1er
  5. Brave Girls
  6. LOONA

Os vídeos oficiais de performance completa tiveram suas visualizações e curtidas contabilizados por 4 dias após publicação. Essa pontuação será somada aos vídeos das demais etapas e adicionada à pontuação final das participantes. Outra coisa que surgiu por 4 dias foi uma votação global na comunidade do Queendom lá no site da Mnet. Se sabemos pra que essa votação serve? Ainda não, mas pelo visto ela vai refletir lá no final, porque não teve influência na classificação da primeira rodada, não foi endereçada durante a explicação da segunda e só vai abrir de novo quando todas as apresentações forem liberadas.

Então basicamente, as informações que temos são:

  • Etapas quinzenais divididas em 3 notas:
    • Auto-avaliação
    • Público presencial
    • Público global online
  • Classificação geral que consistirá em:
    • 4 etapas – incluindo as músicas de comeback da etapa final
    • Visualizações globais das performances completas por 4 dias após a publicação no canal oficial
    • Curtidas globais nos vídeos de performance completas contabilizados por 4 dias após a publicação no canal oficial multiplicado por 100
    • Votação global na comunidade do Queendom no site da Mnet

Como isso será traduzido no final? Não sabemos. Por enquanto, ficamos com nosso ranking pessoal que tem umas polêmicas e uns consensos em comparação com o ranking oficial do programa.

Ranking da equipe

By

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. WJSN/Cosmic Girls
  4. VIVIZ
  5. Kep1er
  6. LOONA

Cambs

  1. Hyolyn
  2. VIVIZ
  3. Brave Girls
  4. WJSN/Cosmic Girls
  5. LOONA/Kep1er

Caio

  1. Hyolyn
  2. WJSN/Cosmic Girls
  3. Brave Girls
  4. Kep1er
  5. VIVIZ
  6. LOONA

Sam

  1. Hyolyn
  2. WJSN/Cosmic Girls
  3. Brave Girls
  4. Kep1er
  5. VIVIZ
  6. LOONA

Agora, para a 2ª e mais esperada etapa, estamos tendo as batalhas de cover! Como vantagem por ficar em primeiro lugar, Hyolyn pôde escolher de quem faria cover, além de escolher qual seria a ordem de apresentações e ela escolheu as meninas do LOONA para fazer a troca. Por terem ficado em 2° lugar, o Cosmic Girls foi quem escolheu depois, optando pelas bffs do VIVIZ e, consequentemente, o Kep1er fará a troca com Brave Girls.

Pra visualizar melhor:

Hyolyn ↔ LOONA

WJSN ↔ VIVIZ

Kep1er ↔ Brave Girls

Algumas performances pros livros de história do k-pop aconteceram na etapa de covers da série do Reino da Mnet (como “Destiny” do Oh My Girl, “It’s Raining” do ONF e “Rhythm Ta” do ATEEZ), então as expectativas estão lá em cima nessa temporada também, especialmente com um elenco cheio de músicas icônicas. No próximo post a gente fala quem acertou em cheio e vai entrar pra esse grupo seleto de Inesquecíveis™, belê?

Até lá!

O Queendom 2: Run the world é a 4ª temporada da série Reino da Mnet. Seus episódios são exibidos toda quinta-feira às 9h20 no horário de Brasília pelo Youtube e posteriormente disponibilizados no Viki com legendas em inglês.

Compartilhe:

byzinha

Byzinha, linha de 1989. No k-pop desde 2018. Meus grupos preferidos são ATEEZ, Seventeen e Monsta X.

One Reply to “Queendom 2: Run the world – Batalha da canção representativa”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Logo do k-pop top podcast

Bem vindes ao blog do K-Pop Top, o podcast do kpopeiro emocionado.

twitter | instagram | facebook | linktree

Banner para te chamar para ouvir o k-pop top podcast. Disponível no Anchor, Spotify, Apple podcasts, Youtube em muito mais.

Aproveite nossos cupons

Taeilsmate Store

Banner em azul, verde e roxo com detalhes em dois tons de rosa anunciando o kit de enquete de sexta em parceria com a Taeilsmate Store. são 9 polaroids, 9 photocards, 1 poster A4 ou 2 posteres A5 pelo valor de R$ 28,00 com frete incluso. caso o cliente tenha votado na enquete, o kit sai por R$ 15,00. As imagens são personalizadas com os ganhadores de enquete, basta fazer o pedido pela dm da Taeilsmate

Puzzle Editions