Análises, Série Reino (Mnet)

Queendom 2: Run the world – Batalha de covers

O Queendom 2: Run the World continua! A segunda etapa do reality show da Mnet trouxe a tão aguardada troca de músicas entre as participantes – aquela hora em que podemos ver se um artista “tanka” (perdão, a gente é jovem) o conceito do outro ou não. Mas quem se saiu melhor nessa?

Queendom 2: Run the World - Ranking KPT
Yeseo, Bahiyyih e Yujin do Kep1er | Fonte: Divulgação

Para muitos, essa é a única etapa que importa: as concorrentes foram pareadas e tiveram que escolher uma (ou mais) músicas uma da outra, repaginar e apresentar no palco do programa – e é aqui, minha gente, que lendas nasceram. Na postagem anterior demos alguns exemplos, mas pra incrementar podemos citar outros, um por temporada: “Good Luck” do Mamamoo, “Rising Sun” do TO1, “Back Door” do BTOB.

No Queendom 2, as trocas foram as seguintes:

Hyolyn ↔ LOONA

WJSN ↔ VIVIZ

Kep1er ↔ Brave Girls

Quem vocês acham que se juntará à lista de Inesquecíveis do Reino agora? Bom, o KPT tem alguns palpites. Bora?

Favoritas da equipe

Brave Girls – MVSK

Cambs

Tudo que você precisa saber sobre esse stage é que existem mulheres de terno, espartilho/corset de couro, e elas te dão o golpe. Tem como não gostar disso? Não. Além disso, é Brave Girls, tem como não gostar de Brave Girls? Só se você não tiver caráter. As meninas trocaram com o Kep1er, mas o jeito que elas fizeram MVSK ser uma música delas foi tão gostoso, que mal parece que a música não é delas de verdade. Quando um artista faz um cover e transforma a música em algo dele, mas sem perder até o pontinho original da música, é um cinema poético. O groovy dance com uma pontinha de disco no fundo, que se mistura com o dance break focado no EDM noise-ish foi uma delícia.

E elas mandaram dance break de novo, né? Ícones. Os microfones de mão pra mostrar mais uma vez que elas são vocalistas, elas cantam, e cantam com uma elegância cativante que te obriga a assistir o stage do começo ao fim, e depois voltar pra ver. O conceito funcionou não só no palco, mas também pra elas, o que é um extra A+ e elas estavam tãaaao lindas, ai. Aproveitaram o palco, os dançarinos e formações de integrantes, o que deu espaço para cada uma delas brilhar.

Além disso, foi na época que elas estavam com COVID-19, então assim… Imagina mandar um stage desses estando doente? Meu Deus.

Kep1er – Pool Party (Rollin’ Right Now)

Caio

É o seguinte, gente: os grupos desse Queendom estão ali lutando pela segunda posição. Nenhum deles é a Hyolyn, especialmente porque a Hyolyn veio pra esse programa determinada a nos destruir. Mas, hear me out – se tivemos nos episódios até agora uma segunda posição digna, da qual o grupo em questão pode se orgulhar, é o Kep1er com o seu cover de “Pool Party” (interpolada com “Rollin'”) das Brave Girls.

O meu lance com essa performance é que eu acho ela infinitamente criativa. A gente começa em um conceito Alice no País das Maravilhas (o que eu confessadamente não gosto, acho batido) e logo cai em acrobacias e alegorias dignas de Sapucaí: quick changes abundantes, subidas e descidas de estruturas de madeira no palco que eu, honestamente, não teria coragem nenhuma de fazer, bolas de sabão, esteiras no palco, uma dance break inspirada no balé e executada à perfeição (terminando com um backflip!)… Parecia que as cartas na manga do Kep1er nunca acabavam.

Elas trouxeram a caixa de ferramentas inteira, sabe? É uma performance guiada pelo conceito do “por que não?”, e eu amo esse tipo de coisa. Sim, a Dayeon levou um tombo no finalzinho, e a Yujin quase foi pelo mesmo caminho, mas honestamente, quem liga? Aconteceria com qualquer um, e não apaga a arte e o entretenimento que elas aplicaram naquele palco. Medalha de prata com honra.

Hyolyn – So what + PTT

Sam

É fascinante assistir um veterano da indústria do entretenimento trabalhar, principalmente quando fica claro desde o primeiro segundo que ele tem plena convicção no que está fazendo. Hyolyn, achando que não bastava escolher reinterpretar uma faixa de um grupo de 12 pessoas, chega no programa em que as demais artistas estão pensando em conceitos básicos para suas performances e pensa “Legal. Então, eu vou começar minha apresentação pendurada no teto”. E com sua poderosa voz e carisma absurdo, a solista faz com que o Queendom 2 seja todo dela – de novo.

É fato que as moças do LOONA se emocionaram com a decisão de Hyolyn. Faz sentido: ter uma artista do calibre da ex-SISTAR escolhendo apresentar algo de sua discografia é uma honra e tanto. Mas é necessário dizer que, proposital ou não, resolver performar sozinha uma música de um grupo enorme é um flex e tanto, como se Hyolyn estivesse se gabando de sua capacidade como performer. E se ela quisesse se gabar, teria toda razão para fazê-lo, já que sua versão de “So What” (com uma pitadinha surpresa de PTT) foi tão boa, mas tão boa, que chegou muito perto de tornar a faixa boa por associação. Foi quase.

O poder vocal da mulher é de conhecimento geral, e ainda assim ela consegue surpreender com suas notas altas e seu pleno controle das mudanças em tom da música. Eu teria preferido que ela apresentasse Why Not?, mas os gritos cada vez mais altos e afinados de Hyolyn deixam claro o fato que seu foco aqui seria a voz, e por isso ela optou pela música inferior. A dança também sofreu para dar maior suporte de respiração para a solista, seus movimentos contidos e um pouco parados. Isso não significa que a energia da performance foi baixa, entretanto: o carisma da idol desconhece limites, e seu cuidado em andar pelo palco e interagir com o público não só gerou frutos na pontuação do programa, como também mostram que ela é uma artista que se importa com a experiência de quem assiste, seja em casa ou na plateia. No que diz conceito, a ideia de Mulher Gato foi interessante, mas acabou pouco utilizada, o tema se mostrando mais através do figurino de Hyolyn e suas dançarinas. No fim das contas, mágica acontece toda vez que Hyolyn decide pisar no palco. E às vezes ela acontece até antes que seus pés cheguem no chão. Com seu corpo pendendo no ar acima dos meros mortais que esperam pelo show de entretenimento que só ela pode trazer, Hyolyn prova lindamente que, para ela, não existe competição – ela é a rainha, e esse reality foi feito para mostrar isso.

LOONA – Shake it

By

No melhor estilo carta Uno Reverse, o LOONA deu as caras na 2ª etapa com uma bolsa Gucci que é a faixa “Shake It” do Sistar e embora, okay, elas tenham tirado toda questão sensual que a música tem e isso tenha sido um Grande Problema para algumas pessoas, eu não estava preocupada com isso. Eu estava mais interessada no quão DIVERTIDA e BEM FEITA essa performance foi. Porque sendo honesta, depois de ver “PTT”, eu esperava um total de nada delas. Isso é o quão ruim a apresentação anterior tinha sido. Mas dessa vez, tive que admitir: elas mandaram muito bem.

Tão bem que eu acho que esse cover de “Shake It” é um dos meus ao vivo preferidos do ano até agora. Eu, como pessoa que sabe o total de nomes de 1 (um) membro do LOONA me peguei pensando “hmm… talvez eu até chegue a aprender pelo menos metade delas, se elas continuarem assim” porque a melhor forma de me manter interessada é, bem, me mantendo interessada. E “Shake It” não te deu espaço para distração.

Elas abraçaram o conceito, entregaram nos vocais e performance, foram super carismáticas e pelo menos mais uma fã conquistaram. Depois de tudo que elas passaram, o resto foi recompensa.

Demais performances

A Cambs falou disso lá no parágrafo de Brave Girls, mas aqui a gente tem que mandar um salve pro WJSN que também fizeram a música, originalmente do GFriend, parecer delas. O remix mais dark com um EDM de break e a cada refrão ficou uma delícia na música, que não fica tão longe do tom delas.

O problema do WJSN dessa vez foi os outros grupos brilharam mais um pouquinho, e talvez isso tenha sido porque o conceito da apresentação pareceu meio…. espalhado? Lembra no começo do Kingdom que o SF9 deu uma sofridinha pra entender como utilizar uma história em palco? Então, é quase isso, porque WJSN nos apresenta uma coisa meio obscura no começo, que a gente já não entende muito bem o que é, então elas utilizam as borboletas que faz parte tanto de conceitos delas quanto do próprio GFriend e deixam o lado obscuro um pouco de lado, pra depois lembrar dele e usar uns panos pelo palco e terminar com uma poção? Veneno? Quem sabe? Talvez nem elas.

Mas tá tudo bem, porque elas estavam lindas, o remix foi lindo e vocês viram a linda da Yeoreum fazendo UM SOLO DANCE BREAK???? A ÍCONE?? Maravilhosa, um beijo pra ela. E a gente podia falar “vocês viram a Exy?”, mas a gente tá processando a Exy ainda porque… meu jesus, que mulher? Aleluia? Exy, tem gente que passa mal!

KPT @ Exy
KPT @ Exy

Quem também se perdeu um pouquinho no conceito da história do palco, mas que estavam lindas fazendo a música foi o VIVIZ. A minha primeira reclamação é que já é a segunda vez que a galera usa um remix com tango na apresentação e o stage é um Quase Lá, eu acho isso ruim e espero que as pessoas reflitam e voltem com uma postura melhor.

Voltando pro VIVIZ agora, assim…. Lindíssimas, e é sobre isso! O tango para “Unnatural” ficou bom, mas o conjunto da obra deu uma batidinha na trave. O conceito meio perdido, o palco foi bem aproveitado ao mesmo tempo que pareceu um pouquinho perdido também, os breaks foram bons, mas… faltou algo, que a gente não sabe exatamente o que, mas faltou. Não foi ruim, só foi quase.

A gente viu pela internet depois que a Eunha ficou sentida sobre a dança dela, e assim, ela é vocalista. O trabalho dela é cantar, e isso ela não falha. No GFriend ela fazia o que tinha que fazer na dança, acompanhava as meninas, e é isso porque esse não é o trabalho dela. No VIVIZ ela continua assim, só que agora são só três e então fica mais fácil de observar uma diferença, principalmente quando temos a SinB bem do lado dela. Mas ela não é ruim, não tava ruim de assistir, então a impressão que fica é que o VIVIZ tá começando a tentar tudo que dá pra saber o que rola e o que não rola. Mas o importante é que elas estavam lindas e “Unnatural” combinou com elas.

Ranking

Se você esteve pelas internets na época do episódio final dessa etapa, provavelmente viu as pessoas protestando e com razão. Embora as participantes tenham que dar respostas vagas (e na maior parte das vezes, não-verdadeiras, visto que, bem, é um jogo e elas precisam desestabilizar a concorrência), até entendemos a troca de farpas leve que rola na hora de dar as notas da auto-avaliação.

O problema foi que ninguém entendeu as notas baixas da plateia para o Brave Girls. Isso até a Mnet liberar as versões Full Cam das performances e a gente ver que, adivinha? Os câmeras ficaram na frente da plateia. 🤡 Então é claro que a galera não ia votar em algo que não conseguiu ver em sua grandeza direito.

Por um lado, a gente fica indignado [/Gil do Vigor] porque o canal insistiu em voltar a ter plateia nessa temporada, mas não readaptou o uso de câmeras para uma performance com plateia. Por outro lado, fica aí o recado para as participantes começarem a pensar na direção de palco e exigirem um pouco mais, porque elas não estão mais montando performance só pro vídeo.

Como o Brave Girls é um grupo rodado que PERFORMA™, a gente tá botando a culpa mais na Mnet mesmo por não fazer o trabalho dela direito, porque não é possível que elas esqueceram de se apresentar pro público. Mas que o recado foi dado, isso foi.

2ª Etapa

  1. Hyolyn
  2. LOONA
  3. WJSN/Cosmic Girls
  4. VIVIZ
  5. Kep1er
  6. Brave Girls

Parcial-Geral*

  1. Hyolyn
  2. WJSN
  3. VIVIZ
  4. Kep1er
  5. Brave Girls
  6. LOONA

*Lembrando que a classificação parcial-geral não adianta nada se os grupos ficarem em último etapa a etapa duas vezes seguidas. No momento, se o Brave Girls repetir a posição na 3ª etapa, mesmo se somando com as demais notas elas ficarem mais alto que outro concorrente, elas serão eliminadas.

Ranking da equipe

By

  1. Hyolyn
  2. LOONA
  3. Brave Girls/Kep1er
  4. WJSN/Cosmic Girls
  5. VIVIZ

Cambs

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. LOONA
  4. WJSN/Kep1er
  5. VIVIZ

Caio

  1. Hyolyn
  2. Kep1er
  3. Brave Girls
  4. WJSN/Cosmic Girls
  5. LOONA
  6. VIVIZ

Sam

  1. Hyolyn
  2. Kep1er/LOONA
  3. Brave Girls/WJSN
  4. VIVIZ

Como nas temporadas anteriores, a 3ª etapa será em duas partes: a primeira é em units, sendo que DE NOVO a temporada feminina vai ter só vocal e performance. Não importa que Hyolyn, Exy, Hikaru estejam no elenco, a gente ficou sem unidade de rap porque é claro que não se pode ter coisas boas na vida.

Diferente da 1ª temporada, no entanto, dessa vez, cada participante pode mandar mais de um membro (que nem foi nas temporadas dos meninos)m e foi permitido que uma pessoa participasse de mais de uma unit.

Isso quer dizer que a Hyolyn poderia optar por participar das duas units, ao contrário da Bom na 1ªT, que usou a Eunji (Brave Girls) como “avatar” de dança. Se eu to triste porque não vai ter nenhuma ligação surpresa pra alguma membro do Sistar? Vocês não leram isso aqui.

Cada apresentação terá 3 units e a pontuação máxima que podem receber são 5k pontos, sendo 2.5k pra vocal e a outra metade pra performance. Como já sabemos quais elas são, vamos contar pra vocês, mas todos os outros detalhes da 3ª etapa vão pro próximo post, okay?

Vocal
  • 33: Hyolyn & Minyoung (Brave Girls)
  • Galaxy that embraces the cosmic: Eunha (VIVIZ) & Soobin, Yeonjung (WJSN)
  • Sun and Moon: Haseul, Kim Lip, Chuu, JinSoul (LOONA) & Chaehyun, Youngeun (Kep1er)
Performance
  • Ka-boom!: Hyolyn & Yeoreum, Eunseo (WJSN)
  • Purr: SinB, Umji (VIVIZ) & Xiaoting, Dayeon, Hikaru (Kep1er)
  • Tell me now: Eunji (Brave Girls) & Heejin, Choerry, Yves, Olivia Hye (LOONA)

E agora é só esperar pra ver o que vai acontecer nessas apresentações. A gente conta pra vocês o que achou na próxima postagem! Até lá 😎

O Queendom 2: Run the world é a 4ª temporada da série Reino da Mnet. Seus episódios são exibidos toda quinta-feira às 9h20 no horário de Brasília pelo Youtube e posteriormente disponibilizados no Viki com legendas em inglês.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: