Site Loader

A 4ª temporada da série Reino – Queendom 2: Run the world – finalmente terminou e coroou sua rainha das rainhas. Isso já faz mais de uma semana, então não é segredo nenhum falar que o Cosmic Girls aka WJSN tem um novo troféu na estante, e o KPT retorna uma última vez para contar o que achou do episódio final do programa.

Cosmic Girls (WJSN) | Divulgação Starship

Para a final do Queendom, contava-se a pontuação acumulada e os pontos da final, incríveis 60.000 novos pontos que prometeram mexer com a tabela de classificação e cumpriram essa promessa.

Começando pelos pontos digitais da música da final, se você prestou atenção em nossa postagem anterior, nós mencionamos que o VIVIZ poderia virar o jogo, mas acontece que a informação era com base na contagem geral. A pontuação de ouvintes únicos por dia foi um pouco diferente (lembra? ouvintes únicos não é a mesma coisa que stream) e por isso o LOONA ficou em primeiro, com o WJSN logo na cola e o VIVIZ em terceiro.

E foi esse o segredo da vitória do Cosmic Girls, exatamente como aconteceu com o Mamamoo na primeira temporada. Elas se mantiveram estáveis durante toda a temporada, na parte de cima da tabela, com uma pontuação sempre próxima o suficiente do primeiro lugar, enquanto as concorrentes oscilavam de ranking significativamente. Enquanto Hyolyn perdeu momentum e o LOONA ganhou o seu (elas inclusive levaram mais pontos na votação final, mas não foi o suficiente para alcançar a pontuação acumulada do Wuju), as garotas cósmicas fizeram seu dever de casa, apaixonaram seus fãs mais ainda, conquistaram fãs novos etapa a etapa e conseguiram segurar sua narrativa do início ao fim.

Afinal, o WJSN ERA o grupo mais solicitado para o programa desde a primeira temporada. Os produtores tiveram que implorar pra Starship fazer as pazes mesmo quando ela estava “muito bem, obrigada” e mandar seu grupinho pra esse programinha. Nessas quatro temporadas, só elas e o Mamamoo vieram, viram e venceram como estava destinado a ser. Meio poético, se quiserem nossa opinião.

É claro que tem todo o trauma desnecessário e as injustiças das posições mais baixas, mas semana após semana nós repetimos o mesmo mantra, né? De que, se dependesse do KPT, todo mundo estava em primeiro? Pois é, vamos continuar sendo esse tipo de fã. Então o que sobra pra hoje é dar uma olhada no ranking da nossa equipe, e depois voltamos a conversar lá pra baixo.

Bora?

Favoritos da equipe

VIVIZ – Red Sun!

Sam

O que dizer sobre a simpática apresentação das Vivinhas? Bem, foi simpática. Bom pra elas.

Ok, não é só isso. Performando uma música chamada Red Sun! que é muito inferior ao Red Sun do Brave Girls, o trio se destaca entre as apresentações por evitar a óbvia música poderosa com partes chutadoras de bundas, escolhendo apostar em um jazz fofinho e elaborado (ou, emprestando as palavras do nosso exímio Caio, “brega”). É fofinho, adorável, as moças estão lindas e seu figurino não só é adequado para o ritmo escolhido como também é uma bela homenagem ao nosso Brasil brasileiro, amamos ver. Come to Brazil, VIVIZ!

Sendo honesta, a música não é minha praia, porém gosto que utilizaram a faceta sonhadora do instrumental para criar um mundo rico e colorido no palco, usando e abusando da teatralidade para exibir seus talentos. Se eu acho que o tom é agudo demais para as vozes das moças? Talvez (sim). Se espero que seus produtores entendam que as coitadas não merecem ficar gritando notas que não conseguem atingir só pra dizer que elas podem? Absolutamente. Mas tudo bem! Elas conseguiram mostrar que continuam fortes pós-GFRIEND e que merecem, sim, seu espaço na indústria.

Simpáticas, as moças, divertida a apresentação. Bom pra elas.

Ranking pessoal da final

  1. Brave Girls
  2. Hyolyn
  3. Kep1er
  4. VIVIZ
  5. WJSN
  6. LOONA

Hyolyn – WAKA BOOM (ft. Lee Youngji)

Cambs

Praticamente toda semana eu me perguntava como todo mundo conseguia competir nesse programa quando a Hyolyn precisava só abrir a boca pra ser O Momento. Porque, sabe, a Hyolyn! E meu Deus que mulher. Ela não precisa do Queendom, o Queendom é que precisava dela e começar o último stage já vestida como rainha que é foi a cerejinha do bolo. Ícone demais. Espero que quando ela tiver um dia livre, ele chute a minha cara.

A música chama Waka Boom, então a gente já sabia que seria uma farofada, pois não existe uma música séria com esse nome, mas será que a gente sabia que seria essa farofada? Em 30 segundos de palco a Hyolyn já mandou a caminhada ao trono, dançarinas lindas, dançarinos de cropped, muito dourado e uma percussão de marcha altíssima então não tinha como não ser uma farofa. Então, a música começa de verdade e já temos um rap-ish sussurrado e falado antes de começar com o vocalzão e a consolidação da farofada veio com o refrão vazio que existe pra você rebolar a raba.

A Lee Youngji sempre é ótima e ela foi ótima aqui também, a participação foi rápida, mas ela foi e ela serviu! Um beijo pra Youngji, que até deu uma dançadinha no final.

Depois da metade do Queendom, que mais ou menos foi a performance de troca, a Hyolyn se reservou a ficar no que ela faz de melhor que é mandar o gogó ao vivo, então algumas outras partes ficam mais deixadas de lado, então às vezes tudo que ela fazia era andar de um lado pro outro no palco. Mas tá tudo bem, porque mesmo “só” essas andadas ainda te deixava preso nela, porque ela simplesmente te atrai. A participação da Hyolyn no Queendom foi o que tinha que ser, ela se divertiu, conheceu gente da mesma idade e que poderia ser filha dela e apresentou mini shows, mostrando porque ela é a ícone que é.

E tudo isso com uma música farofa fedida, sabe? Ai ai.

Ranking pessoal da final

  1. Brave Girls
  2. Hyolyn
  3. LOONA/WJSN
  4. Kep1er
  5. VIVIZ

Kep1er – The Girls (Can’t Turn Me Down)

Caio

Então. O Queendom 2 acabou e o maior legado dele para a minha vida é que agora eu… acho o Kep1er bom? É esse mesmo meu take? Eu acho que é. Vamos com ele por enquanto, pelo menos.

A verdade é a seguinte: o talento absurdo da Hyolyn foi óbvio de sacar desde o primeiro segundo que ela pisou no palco, eu já era apaixonado pelas Brave Girls, tinha minhas músicas favoritas do LOONA, havia curtido o debut do VIVIZ e era meio rendido por quase tudo que o WJSN fazia. Quem sobrava nessa equação, com uma música de debut que não me convenceu, um álbum que eu não ouvi e integrantes que eu não conhecia, era o Kep1er.

Acontece que eu amei o cover de “Pool Party” que elas fizeram algumas semanas atrás, e me tornei ainda mais fã dessa performance da final, que fez a canção inédita “The Girls (Can’t Turn Me Down)” crescer enormemente pra mim. O que elas acertaram em cheio aqui, ao meu ver, é o caos controlado de uma performance da série Queendom, a megalomania das mudanças de ângulo e usos criativos de palco, a pirotecnia e a iconografia das formações, o exibicionismo das notas altas e longas da apoteose da música.

Lá na primeira semana de Queendom, eu disse que a Hyolyn era a única verdadeira popstar que havia pisado no palco do programa. Popstar como entidade própria, como energia única, como ímã de olhares, sabe? Parece que eu estava errado.

Ranking pessoal da final

  1. Kep1er
  2. Hyolyn
  3. Brave Girls
  4. WJSN
  5. VIVIZ
  6. LOONA

Brave Girls – Whistle

By

As Brave Girls operaram um milagre tal qual The Boyz no Kingdom: Legendary War, sacudiram a poeira e deram a volta por cima na 3ª etapa da temporada e por isso tiveram a oportunidade de fazer algo com prazer respirando aliviadas. A música que elas usaram para a final, Whistle, já tinha sido uma das minhas preferidas quando a playlist saiu e sua versão ao vivo só me deixou mais apaixonada.

Da Minyoung abrindo a performance com vários dançarinos bonitões à voz da Yuna (cada vez mais se destacando) fica difícil não se encantar com a performance dessas que se auto intitularam “grupo das tias”, especialmente quando elas abrem a faixa prestando homenagem ao seu fandom Fearless e apresentam esses quase 5 minutos com coreografia do LACHICA. Ao lado da Hyolyn, as Brave Girls trouxeram maturidade para a temporada e o frescor do verão para seu encerramento (mesmo, porque elas foram as últimas a se apresentar).

Quando entraram no cômodo que tinha a ordem de performances da final, elas disseram que a maior ameaça delas era a Hyolyn, por isso a colocaram em primeiro. E se você olhar meu ranking de performances da final, vai logo entender que o que as moças acabaram fazendo foi um sanduíche perfeito – um excelente início, e um final de tirar o chapéu.

E parabéns pras Brave Girls porque mereciam muito mais do que a última colocação final, isso não está aberto à negociação.

Ranking pessoal da final

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. LOONA
  4. VIVIZ
  5. WJSN
  6. Kep1er

Demais performances

Quem merece um salve gigantesco também é o LOONA! Depois de receberem 3 votos negativos com o argumento de “esperava mais” na 3ª etapa do programa, elas voltaram às raízes – as que dizem que o forte delas é a performance – e mandaram POSE! que, como posso dizer, subverteu as expectativas? Porque, assim, quando você lê uma música chamada Pose eu não sei vocês, mas eu dou play esperando um ar de Vogue da Madonna ou até mais como Vogue do Oh My Girl, algo chique e com o próprio voguing e tutting incorporados. E sabe o que encontramos em Pose do LOONA? Uma música hip hop levemente anos 90 barulhenta e fedidíssimo.

Mais do que ter uma sonoridade de boy group (como foi apontado pelas outras participantes na prévia das músicas) — seja por ser noise music que sempre é um roda a roleta pra todo mundo, ou pelo arzinho de música de boy group (principalmente NCT-ish) de POSE! — elas optaram por um conceito de vilão que foi onde nossa equipe se dividiu. Para alguns, o conceito funcionou muito bem e estilo fedido bem chute na cara foi ótimo, mas para outros, foi uma oportunidade perdida de misturar o estilo Chique™ que é o forte delas (cof cof Butterfly cof cof) e misturar com essa coisa quase agressiva da performance de grupo masculino que elas emulam tão bem.

O ponto forte da faixa e da performance é o temido “refrão vazio”, por incrível que pareça. A gente aceita a coreografia, adora as harmonizações de vozes e até tenta cantar e dançar junto porque ficou super chiclete e é isso que o povo gosta (quem não gosta está livre pra ter opinião errada, porque opinião é de cada um, então bora só aproveitar).

Uma coisa é certa, no entanto, como todo mundo do KPT concorda. A Pose do LOONA precisava de um voguing, um tutting ali no meio. Elas são ótimas dançarinas então não é como se a coreografia dosse de todo ruim, teve ótimos momentos de sincronização, brincaram com o número grande de integrantes e tem várias formações diferentes que dão momentos de brilho para cada uma (mas não muitos momentos pra nossa modelo raiz a ViVi, e eu vou reclamar disso sempre, porque a BBC tem medo do poder da Viviane).

Não tivemos tudo o que esperávamos no palco, mas fica a ideia pra você quando for ouvir e dançar no meio da sala.

Rainhas das Rainhas

As grandes vencedoras merecem umas palavrinhas neste post também, então cá estão elas: Aura é uma música bem legal! Composta pela líder Exy sob medida para as membros do Cosmic Girls, assim que o áudio saiu, ela tinha ares de vencedora e nossa equipe concordou que esperava algo majestoso para a apresentação ao vivo.

Bom, a apresentação fez o serviço a que se propôs, as meninas estão belíssimas (Seola e Yeoreum, oi! Tudo bem?) e a performance foi bem profissional e correta… Só que sim, tem um “mas” vindo aqui.

MAS… foi uma performance quase normal, não? Digna de um comeback stage mais elaborado, sim, bonita, interessante, bem feita, porém faltou aquele boom, aquilo que nos fizesse dizer “SIM, É ISSO QUE EU QUERIA VER”. Faltou purpurina, gelo seco e talvez até um coral romano com ares de batalha porque pareceu que a música se manteve no mesmo plano do início até a ponte.

A escolha de figurino foi incompreensível e nada tem a ver com a coreografia quase delicada (e excelente, diga-se de passagem). Talvez elas nem precisassem do tal coral romano, só de um instrumental um pouco mais dinâmico. Não à toa a introdução e o minuto e meio final, ali da ponte pra frente, são as partes mais fortes da performance, porque o meio da apresentação pareceu uma bonança, diferente do que a sonoridade da faixa exigia.

Talvez tenha sido a intenção, esse ar de águas calmas que a performance teve, mas não deixa de ser uma pena.

Últimas considerações

Tem muita coisa que a gente gostaria de mudar no formato da série Reino. Por exemplo, as temporadas do feminino são bem menos traumatizantes pro público do que as do masculino, mas o critério de auto-avaliação do masculino é muito mais justa do que o do feminino. As narrativas individuais também são uma brincadeira de mal gosto, às vezes, sem contar a famosa “edição do mal da Mnet” que dá pontos de entretenimento, mas a gente odeia mesmo assim.

(Se vocês quiserem, a By pode fazer um post especial sobre a construção narrativa do Reino com base nas 4 temporadas que já foram exibidas, mas por enquanto essa parte fica em suspenso.)

Levando tudo em consideração, no entanto, o saldo continua sendo positivo, como as meninas cantaram em “Epilogue”, a faixa que encerrou as performances da temporada. As participantes conseguem fazer novas amizades, as interações e troca com os fãs são emocionantes e as performances realmente são lendárias. Às vezes, dá vontade de mandar nosso currículo pra fazer o programa com as coisas boas só e algumas outras melhoras de fã pra fã, como deveria ser. Mas infelizmente isso ainda não é uma opção.

Mais do que as partes que fazem o Reino ser ótimo, também tem o resultado do primeiro lugar que, até hoje, faz sentido. Favoritismos de lado, tem lógica sim cada um que levou o troféu de rei/rainha (ou aspirante, no caso do Road to Kingdom).

Na novela que a Bona atuou (a que a impediu de participar do programa desde o início), em dado momento, sua personagem (Yurim) questiona a vitória de sua concorrente (Heedo) na final da esgrima, e por causa da cena que Ko Yurim faz, Na Heedo comenta que mesmo tendo vencido de maneira genuína, aquele questionamento que instigou uma ira coletiva (de quem estava assistindo e da mídia que se alimenta de drama) fez com que sua medalha perdesse o mérito.

Quando se tem chilique de outros fandoms por causa de resultado de programa (que não nasceu pra ser fácil, nem justo, nem real) o que realmente se está tentando fazer é tirar o mérito daquela vitória (que apesar de ter sido conquistada num campo de batalha difícil, injusto e surreal, ainda é vitória, ainda é merecido, porque elas superaram) e isso é tão feio. Faz a gente franzir o nariz. Enquanto você batalhou duro pelas suas favoritas, outras pessoas batalharam duro pelas outras participantes e ninguém tem nenhum direito de questionar isso, da mesma forma que você não iria gostar de ser questionade sobre sua dedicação.

Nossa pergunta pro pessoal que corre pras redes sociais com o dedinho nervoso de vontade para desmerecer alguém é: já parou pra pensar em como isso faz a pessoa que teve aquela vitória se sentir? Será que esse povo gostaria de ver seus favoritos tratados da mesma forma? Provavelmente não, né? Então agora, com o fim da jornada, o fim desse Queendom, o correto a se fazer é que nós, como uma sociedade (já que vivemos em uma), deitemos na grama, respirando fundo e sussurando em voz alta um belo de um “é, tá tudo bem”. Porque, se você parar pra pensar, é a verdade. Está tudo bem. Outro grupo ganhou o troféu, talvez, mas o ponto de um reality como o Queendom é muito mais a exposição de talentos e integrantes para um grande público, e existem muitas vitórias disponíveis para os aparentes perdedores. Está tudo bem.

Nós passamos a temporada inteira comparando o Queendom 2 com as temporadas anteriores, então aqui vão nossos últimos 2 centavos: como estão os grupos que se destacaram nos anos anteriores que não os vencedores? No primeiro Queendom, o Oh My Girl virou uma potência, o (G)I-DLE se estabeleceu como um dos grupos femininos mais fortes da 4ª geração. Do Road to Kingdom, só o TO1 não conseguiu ter seu breakthrough ainda, por pura incompetência da Wake One porque eles são ótimos. Olha o ONF, caras!! Dominaram 2021 e agora o ONEUS tá fazendo sua história. Sem contar o Kingdom: Legendary War, cujos ZZZ têm superado todas as expectativas comeback após comeback.

Vocês acham mesmo que as demais participantes do Queendom 2 vão cair no esquecimento? Porque nós temos certeza que não.

Tendo dito tudo isso, querem dar uma olhada nos últimos rankings do programa? Foi assim que a classificação da 4ª e última etapa ficou:

Votações prévias

Incluindo: 5k de visualização de performances + 5k de fanvote + 20k de digitais

  1. LOONA
  2. Cosmic Girls/WJSN
  3. VIVIZ
  4. Kep1er
  5. Brave Girls
  6. Hyolyn

Resultado final

Somatório de todas as 4 etapas da temporada.

  1. WJSN
  2. LOONA
  3. VIVIZ
  4. Hyolyn
  5. Kep1er
  6. Brave Girls

E esse é o ranking real da temporada na cabeça do KPT:

Ranking final da equipe

By

  1. Hyolyn
  2. WJSN
  3. Brave Girls
  4. VIVIZ
  5. Kep1er
  6. LOONA

Cambs

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. WJSN
  4. LOONA
  5. Kep1er
  6. VIVIZ

Sam

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. WJSN
  4. VIVIZ
  5. Kep1er
  6. LOONA

Caio

  1. Hyolyn
  2. Brave Girls
  3. Kep1er
  4. WJSN
  5. VIVIZ
  6. LOONA

Em competições de dança e esportes, a rivalidade é deixada na quadra, piscina, palco. Quando o dia de trabalho termina, os concorrentes apertam as mãos, se abraçam, oferecem um “bom trabalho”, “você foi bem”, “parabéns”, “conseguimos”. Que mais fandoms consigam entender o que realmente é rivalidade. Que seja mais fácil reconhecer que tudo bem se alguém não gosta do meu fave tanto quanto eu. A vida é muito curta pra se preocupar com algo tão trivial.

A gente fecha aqui nossas análises da 4ª temporada da série Reino novamente parabenizando o WJSN e mandando um recado para todo fã de plantão:

Melhore.

SORTEIO DUPLO: KPT & Taeilsmate Store & Hirai Store

Dayoung do Cosmic Girls | Divulgação Starship

Atenção para as regras gerais:

  1. Início: 11/6
  2. Término: 18/6, às 18h
  3. Resultado: 18/6, às 20h
  4. Responda AS DUAS perguntas para concorrer
  5. Tá liberado participar dos dois sorteios
  6. Responder as perguntas no blog não isenta o participante de ter que responder no twitter também para poder participar do sorteio de lá

Sorteio com Taeilsmate Store

Deixe seu comentário UMA VEZ nesse post respondendo as seguintes perguntas:

  1. Para quem foi sua torcida no Queendom 2: Run the world?
  2. Caso haja uma próxima temporada do programa, quem você gostaria de ver participando?

Use um meio de contato válido (e-mail ou conta em rede social que não esteja privada) para podermos avisar sobre o resultado.

Prêmio: kit personalizado de fanmades de alguma das participantes do Queendom 2.

O vencedor escolhe entre:

  • WJSN;
  • LOONA;
  • VIVIZ;
  • Hyolyn;
  • Kep1er; ou
  • Brave Girls
O kit do prêmio é o mesmo usado para as enquetes de sexta-feira.

Resultado

Sorteio com Hirai Store

Siga o @kpoptop_pod e a @HiraiStore.

Dê RT no tweet oficial do sorteio.

Responda UMA VEZ as seguintes perguntas no tweet oficial do sorteio:

  1. Para quem foi sua torcida no Queendom 2: Run the world?
  2. Caso haja uma próxima temporada do programa, quem você gostaria de ver participando?

Tenha sua conta aberta (pública) para verificação das regras.

ATENÇÃO: Sorteio feito por COMENTÁRIO. QRTs não serão computados!

Prêmio: pulls oficiais da Dayoung (poster e postcard) para o álbum Super Yuppers! do WJSN Chocome.

Prêmios do sorteio no twitter

Resultado

O sorteio no twitter é de item oficial, mas está limitado ao Cosmic Girls. Já o sorteio no blog está à escolha do ganhador se o kit será do WJSN ou de alguma outra participante – ou seja, LOONA, VIVIZ, Hyolyn, Kep1er ou Brave Girls.

Os dois resultados serão postados aqui e no twitter do KPT.

O vencedor terá até o dia 19/6 às 18h para entrar em contato conosco e reclamar seu prêmio. Caso não se manifeste, um novo sorteio será feito com prazos semelhantes.

Lembre-se de responder as duas perguntas e boa sorte!

e se demonstrar que leu o texto, ganha pontos de amizade com a gente 🤭

O Queendom 2: Run the world é a 4ª temporada da série Reino da Mnet. Seus episódios foram exibidos toda quinta-feira às 9h20 no horário de Brasília pelo Youtube e posteriormente disponibilizados no Viki com legendas em inglês. Sua final aconteceu em 2 de junho de 2022 e a vencedora terá direito a um show de comeback com transmissão internacional.

Compartilhe:

byzinha

Byzinha, linha de 1989. No k-pop desde 2018. Meus grupos preferidos são ATEEZ, Seventeen e Monsta X.

5 Replies to “Queendom 2: Run the world – Final”

  1. Realmente o queendom abriu meus olhos pro kep1er como eu não esperava, amei todas as performances e a energia delas. Estava torcendo pro Loona, queria MT ver o dreamcatcher participar acho que elas iriam dar um show em casa stage. Amei o post muito bem trabalhado e feito

  2. Minha torcida foi para o kep1er
    Na próxima edição eu adoraria ver o dreamcatcher

  3. Torci para o WJSN e como meu grupo utt elas me deixaram muito orgulhosa, mostrando seus diversos lados. Porém, todos os grupos foram maravilhosos e mereciam ganhar também!! Na próxima, gostaria de ver o Dreamcatcher e o Everglow.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Logo do k-pop top podcast

Bem vindes ao blog do K-Pop Top, o podcast do kpopeiro emocionado.

twitter | instagram | facebook | linktree

Banner para te chamar para ouvir o k-pop top podcast. Disponível no Anchor, Spotify, Apple podcasts, Youtube em muito mais.

Aproveite nossos cupons

Taeilsmate Store

Banner em azul, verde e roxo com detalhes em dois tons de rosa anunciando o kit de enquete de sexta em parceria com a Taeilsmate Store. são 9 polaroids, 9 photocards, 1 poster A4 ou 2 posteres A5 pelo valor de R$ 28,00 com frete incluso. caso o cliente tenha votado na enquete, o kit sai por R$ 15,00. As imagens são personalizadas com os ganhadores de enquete, basta fazer o pedido pela dm da Taeilsmate

Puzzle Editions